Bancos Alimentares Contra a Fome angariam 2.270 toneladas de alimentos no fim de semana

2015-11-30

Informação à imprensa – 30 de Novembro de 2015

Com a colaboração de 42 mil voluntários. A campanha prossegue até 6 de Dezembro na internet e com vales.

Informação à imprensa – 30 de Novembro de 2015

Na campanha de recolha deste fim-de-semana
Bancos Alimentares Contra a Fome angariam 2.270 toneladas de alimentos

Os Bancos Alimentares Contra a Fome recolheram em Portugal mais de 2.270 toneladas de produtos  alimentares na campanha realizada no passado fim-de-semana em cerca de 2.000 superfícies comerciais das zonas de Abrantes, Algarve, Aveiro, Beja, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Cova da Beira, Évora, Leiria-Fátima, Lisboa, Oeste, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, S. Miguel, Terceira, Viana do Castelo, Viseu e na Terceira.

A Campanha portuguesa coincidiu com iguais operações de recolha de géneros alimentares organizadas pelos 264 Bancos Alimentares Contra a Fome em actividade por toda a Europa.

A campanha, cujo lema foi “A sua ajuda é enorme por mais pequena que seja a sua contribuição”, suscitou uma enorme adesão do público que manifestou apoio reiterado a esta causa. Tanto as quantidades recolhidas como o número de voluntários envolvidos ultrapassaram todas as expectativas. Em termos de quantidades, os resultados atingidos comparam com os alcançados no passado por esta altura do ano e no tocante a voluntários, o número daqueles que acorreram à chamada confirma que esta iniciativa de voluntariado não tem, ao nível da dimensão, qualquer paralelo no nosso País.
Os géneros alimentares recolhidos serão agora distribuídos por um total de 2.600 Instituições de Solidariedade Social a mais de 425 mil pessoas com carências alimentares comprovadas.

Voluntariado: expressão de cidadania e participação cívica.

42 mil voluntários disponibilizaram parte do seu tempo livre durante o fim de semana para participar na campanha de recolha. Trata-se da maior acção de voluntariado organizada em Portugal, mostrando que a acção conjunta de todos os agentes de solidariedade gera resultados muito superiores aos que seriam obtidos se cada um deles resolvesse agir de forma isolada.
Tarefas como a recolha nos estabelecimentos comerciais, o transporte, a pesagem e a separação dos produtos, foram integralmente asseguradas por voluntários, confirmando assim a vontade de participar no projecto do Banco Alimentar Contra a Fome.
As campanhas são extraordinárias cadeias de solidariedade onde cada elo – pessoas que colocam os seus donativos nos sacos do Banco Alimentar, voluntários que dão o seu tempo e trabalho e empresas que garantem seguros, transportes, refeições, segurança, limpeza – é indispensável e igualmente importante.

Campanha Online e Campanha “Ajuda Vale”
Para quem não teve a possibilidade de se deslocar ao supermercado no fim de semana mas que não quer ficar indiferente a esta causa, o Banco Alimentar disponibiliza ainda até 6 de Dezembro, o site www.alimentestaideia.net através do qual, com um simples clique, é possível doar alimentos para quem mais precisa. Esta plataforma, que se caracteriza por uma grande simplicidade, permite comprar on line, ao mais baixo preço do mercado, um conjunto de 6 produtos alimentares essenciais para ajuda às famílias. O pagamento é feito por Multibanco ou Visa, tal como com qualquer outro pagamento de serviços ou compra online. Uma mais-valia da plataforma electrónica de recolha de alimentos consiste na sua integração às principais redes sociais e móveis como o Facebook e o Messenger.
Realiza-se ainda, em simultâneo, a campanha “Ajuda Vale” nos supermercados e nos postos de abastecimento da BP. Em suportes próprios colocados nas caixas, vales de produtos selecionados representando uma unidade do produto (por exemplo, "1 litro de azeite", "1 litro de leite", 1 litro de óleo, 1 lata de salsichas e 1 lata de atum) com um código de barras próprio através do qual é efectuado o controlo das dádivas. Ao efectuar o pagamento, o dador entrega o cupão "Ajuda Vale" na caixa registadora e os produtos ficam claramente identificados no talão de caixa. A logística de transporte para os Bancos Alimentares fica a cargo de cada uma das cadeias de distribuição. As doações são auditadas por uma empresa externa especializada.

Alguns dados relativos à actividade
A actividade dos Bancos Alimentares Contra a Fome prolonga-se ao longo de todo o ano. Para além das campanhas de recolha em supermercados, organizadas duas vezes por ano, os Bancos Alimentares Contra a Fome recebem, diariamente, excedentes alimentares doados pela indústria agro-alimentar, pelos agricultores, pelas cadeias de distribuição e pelos operadores dos mercados abastecedores. São assim recuperados produtos alimentares que, de outro modo, teriam como destino provável a destruição. Estes excedentes são recolhidos localmente e a nível nacional no estrito respeito pelas normas de higiene e de segurança alimentar. Deste modo, para além de combaterem de forma eficaz as carências alimentares, os Bancos Alimentares Contra a Fome lutam contra uma lógica de desperdício e de consumismo, apanágio das sociedades actuais.

Em 2014, os 21 Bancos Alimentares Contra a Fome operacionais distribuíram um total de 29.630 toneladas de alimentos ((equivalentes a um valor global estimado superior a 41.482 milhões de euros), ou seja, um movimento médio de 118 toneladas por dia útil.
Recolha nacional, ajuda local
Os Bancos Alimentares Contra a Fome distribuem, ao longo de todo o ano, os géneros alimentares recorrendo a Instituições de Solidariedade Social por si seleccionadas e acompanhadas em permanência. Incentivam as visitas domiciliárias e o acompanhamento muito próximo e individualizado de cada pessoa ou família necessitada por estas instituições, de forma a ser possível efectuar, em simultâneo, um verdadeiro trabalho de inclusão social.
A actividade dos Bancos Alimentares norteia-se pelo princípio genérico da “recolha local, ajuda local”, aproximando os dadores dos beneficiários e permitindo uma proximidade entre quem dá e quem recebe. Possibilita o encontro entre voluntários e instituições beneficiárias, por um lado, e entre fornecedores da indústria agro-alimentar, empresas de serviços, poderes públicos e o público em geral, em especial durante os fins-de-semana das campanhas de recolha, em que todos trabalham lado a lado por uma causa comum: a luta contra as carências alimentares e a fome.

Em 1991, foi aberto em Portugal o primeiro Banco Alimentar Contra a Fome e estão actualmente em actividade no território nacional 21 Bancos Alimentares, congregados na Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, com o objectivo comum de ajudar as pessoas carenciadas, pela doação e partilha.

Bancos Alimentares na Europa

Os dados revelam que 122 milhões de pessoas (24,4%) estavam em risco de pobreza ou exclusão social na Europa em 2014 e, destas, 55 milhões (9,6%) não tinham possibilidade de adquirir uma refeição completa todos os dias (Fonte: Eurostat, Outubro 2015). Mas, ao mesmo tempo, 90 milhões de toneladas de alimentos são desperdiçados todos os anos. (Fonte: estudo preparatório sobre resíduos alimentares em toda a UE 27, Comissão Europeia, Outubro de 2010) (www.eurofoodbank.org).
Existem actualmente 264 Bancos Alimentares operacionais na Europa, congregado numa Federação, que, em 2014, distribuíram 2,25 milhões de refeições a 5,9 milhões de pessoas em parceria com 33.800 organizações sociais, recuperando muitos alimentos que seriam desperdiçados e mobilizando muitas boas vontades e voluntariado.
___________________________________________________________________
Para mais informações sobre a campanha, contactar:
Banco Alimentar Contra a Fome: 961 738 631/ 91 900 02 63/21 364 96 55 - www.bancoalimentar.pt

A procurar...
BA AbrantesBA AlgarveBA AveiroBA BejaBA BragaBA Castelo BrancoBA CoimbraBA Cova da BeiraBA ÉvoraBA Leiria-FátimaBA LisboaBA MadeiraBA OesteBA PortalegreBA PortoBA SantarémBA São MiguelBA SetúbalBA TerceiraBA Viana do CasteloBA Viseu

Na campanha de recolha de 27 e 28 de Maio de 2017 os Bancos Alimentares Contra a Fome angariam 1.848 toneladas de alimentos

Os Bancos Alimentares Contra a Fome recolheram no passado fim de semana um total de 1.848 toneladas de géneros alimentares na campanha realizada em mais de 2.000 superfícies comerciais de todo o País, a que acrescerão as doações online e através de vales disponíveis nas lojas, ainda não contabilizadas nessa quantidade.

Com a participação de mais de 40 mil voluntários, os resultados desta recolha, subordinada ao mote “Fazer deste dia, um dia especial está em cada um de nós”, representam um valor próximo do obtido na campanha homóloga do ano passado, confirmando quer a solidariedade sempre presente dos portugueses quer a sua confiança renovada vez após vez na ideia subjacente à atividade os Bancos Alimentares contra a Fome.

Saiba mais »

A inclusão social nos Bancos Alimentares

A inclusão social nos Bancos Alimentares

Veja o filme https://www.youtube.com/watch?v=Mg1vLhi-WDo

Porque nem só de pão vive o Homem, parafraseando Bernard Dandrel, fundador dos Bancos Alimentares na Europa, é finalidade da acção dos Bancos Alimentares, acompanhando a entrega de alimentos, a ligação solidária e afectiva, essencial para que se volte a “pôr de pé” o nosso irmão na humanidade, ferido pela vida e atirado para a margem da sociedade, a quem falta mais o amor que o pão.

Saiba mais »
mais notícias »